India-Brazil Business Forum

Updated: Jan 30, 2020



Durante o India-Brazil Business Forum foram debatidos temas importantes sobre a relação econômica entre os dois países, com discursos de autoridades como o Presidente do Brasil, o Sr. Jair Bolsonaro, o Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araujo, assim como o Sr. Sergio Segovia, Presidente da Apex Brasil.


Abaixo, tenha acesso a partes importantes dos discursos proferidos durante o evento.

Sr. Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil:

[...] O Brasil tem um potencial enorme pela sua extensão territorial, riqueza mineral, biodiversidade, água potável, energia, gás, riquezas e maravilhas turísticas. A nossa equipe na área econômica foi muito bem montada pelo Sr. Paulo Guedes, em especial a dedicação dos bancos oficiais sem a indicação política partidária. Inclusive os números da taxa de juros chegaram a níveis nunca imaginados na história de nosso país, isso faz com que a projeção de nossa dívida diminua com o tempo, transformando o Brasil em confiável, pois significa que será possível honrar os compromissos. Os números então se fizeram presentes e o mundo começou a olhar de forma diferente para nós. Em todos os lugares do mundo somos muito bem tratados, e isso se deve à confiança. A todos presentes, a oportunidade está aí. Brasil e Índia juntos são quase 20% da população mundial. Estamos entre as 10 maiores economias do mundo, temos muito há fazer juntos, e, dessa forma, elevar Brasil e Índia ao local de destaque merecido. Estamos cada vez mais no caminho certo ao descobrir o que temos em comum. Temos a cultura, vontade de vencer e um povo maravilhoso.


Sr. Ernesto Araujo Ministro de Relações Exteriores do Brasil:

O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro Narendra Modi já começaram nos últimos dias, em Nova Délhi, um passo antecedente no relacionamento das duas grandes nações. Em relação ao plano de uma parceria estratégica, devemos unir esforços em áreas de interesse comum para os dois países representados aqui, neste evento. Comércio, investimento, cultura, defesa, ciência, tecnologia e inovação, entre outros. O objetivo que anunciamos ao comércio bilateral nos próximos anos é muito ambicioso e totalmente compatível com o enorme potencial de nossos dois países e com a determinação de nossos dois líderes. A expectativa para o nosso acordo referencial é que será um passo muito importante para ir ainda mais longe na relação bilateral. Desejo reforçar que o Brasil sustentará o dinamismo que demos às nossas negociações comerciais com outros parceiros. Essas negociações são apoiadas por todos os Ministérios relevantes, esta uma nova realidade no Brasil, para que o governo trabalhe em equipe, o principal resultado da liderança do Sr. Bolsonaro. Nas décadas anteriores, as negociações não puderam avançar porque, entre outros fatores, a falta de unidade no governo e idéias diferentes. A estratégia que estamos adotando nesta abertura da economia brasileira está funcionando. Estamos cientes de que as novas relações e a economia forte são fatores que favorecem o Brasil nas relações econômicas internacionais. No ano passado, em 2019, obtivemos a posição de maior terreno para reter investimentos estrangeiros, decorrentes de serviços e manufatura. No centro da quarta revolução industrial, estamos abrindo as portas para o agronegócio em todos os setores da economia. Em todos esses setores, queremos estar de mãos dadas com a Índia. Brasil e Índia juntos podem potencializar a capacidade um do outro de se tornar uma das maiores economias do mundo. Penso que esta visita mostra que podemos fazer isso, mantendo-nos fiéis aos nossos valores e às nossas identidades. Nós, do Brasil, vimos na Índia um país poderoso, orgulho de si, unido em sua diversidade e, no fundo de sua cultura, cheio de variedade de pessoas, cores e expressão cultural. A sociedade que está sob a liderança do primeiro-ministro Modi está se modernizando sem abrir mão de suas tradições e valores, está centrada em sua essência e raízes, e não está nos dogmas daqueles que pregam o fundamentalismo. Somente nações que vivem e se reconhecem como nações podem aspirar a ser algo no mundo, e acho que essa é a lição da Índia, e é também isso que o Brasil está tentando dar ao mundo. Este é um ponto de convergência que encontramos. É por causa dessa convergência de idéias que somos capazes de assinar esse número sem precedentes de acordos, que acredito ser apenas o começo, mas é muito promissor. Estamos começando a identificar barreiras ao comércio, questões regulatórias que precisamos arriscar para abrir os dois mercados. Temos a determinação política de trabalhar em questões específicas, para identificar o que funciona nos aspectos comerciais. Apenas para dar um exemplo do caminho que estamos planejando, o acordo de facilitação da cooperação oferece novas orientações e abre novas oportunidades para diálogos nas principais áreas de investimento. As empresas indianas já fizeram 6 bilhões de investimentos no Brasil em áreas como energia, produtos químicos e automóveis. E o investimento do Brasil na Índia é de 1 bilhão de dólares, mas isso é claramente apenas o começo, podemos multiplicar esse fluxo de investimento muitas vezes