Cimentando oportunidades

Uma visão do setor cimenteiro indiano e suas oportunidades.


Leonardo Ananda Gomes

Fundador e Presidente da Câmara de Comércio Índia Brasil e Cônsul Geral Honorário da Índia no Rio de Janeiro


A Câmara de Comércio Índia Brasil realizou em Novembro de 2017 uma viagem de prospecção para compreender um dos setores mais proeminentes da economia indiana. Já não é novidade para ninguém que o PIB indiano vem crescendo a mais de 7% ao ano, e que um dos principais aceleradores deste continuo e forte desenvolvimento econômico é o setor de infraestrutura. Milhares de moradias, inúmeras pontes, linhas de metrô, viadutos, rodovias e ferrovias vem sendo construídas e aprimoradas em todo território indiano. Cidades inteiras estão sendo remodeladas para receberem a desejada denominação de “Smart Cities. Os aeroportos da Índia já se destacam como os mais modernos do mundo e os portos precisam estar cada vez mais preparados para receberem mercadorias e, principalmente, exportarem os resultados manufaturados do bem sucedido plano de governo “Make in India”. E para possibilitar toda esta transformação, cerca de 400 milhões de toneladas de cimento vem sendo produzidos anualmente no país.


A Índia é o segundo maior produtor de cimento do mundo e para entender bem este posicionamento, vale algumas interessantes comparações. A primeira delas não poderia deixar de ser com o país asiático de maior dimensão territorial (9,59 milhões de km²) e com a maior população do mundo (cerca de 1,4 bilhões de pessoas). A China divulga o surpreendente número de 2.4 bilhões de toneladas de produção anual, o que parece enfraquecer a expressão da Índia no mercado global, já que a produção indiana está aproximadamente 6 vezes menor do que a continental república do mandarim. Mas se pensarmos que encontra-se na Índia cerca de 1,3 bilhões de pessoas, que precisam se alimentar, morar, comprar e, principalmente, se deslocar pelo sétimo maior território do mundo (3,29 milhões de km²), podemos concluir que, talvez, o país que tem o PIB que mais cresce no mundo atualmente, esteja produzindo “singelas” 400 milhões de toneladas, porque está apenas iniciando o seu processo de reestruturação e modernização, o que que já vem acontecendo no seu vizinho chinês há muitos anos. Ou seja, destaca-se aqui o potencial de crescimento do segundo colocado.


A segunda comparação é mais objetiva, mas também ajuda a compreender o interessante posicionamento do mercado cimenteiro indiano no cenário global e a força dos “players” que o integram. A Ultratrech, divisão de cimento do forte Grupo AdityaBirla, líder de mercado em seu país de origem, produz sozinha (em suas 47 unidades) a mesma quantidade de toneladas de cimento do que uma das principais potencias econômicas mundiais: os Estados Unidos da América. Vale ressaltar que as 90 milhões de toneladas que a Ultratech produz atualmente, simboliza aproximadamente 23% da produção indiana.


Finalmente, se dividirmos a Índia em cinco principais regiões, sendo Norte, Sul, Leste, Oeste e Centro, podemos realizar uma precisa comparação com o mercado brasileiro. A capacidade instalada brasileira está em torno de 90 milhões de toneladas por ano, porém em virtude da grave crise política e econômica que o país vem enfrentando nos últimos anos, ocasionou uma significativa retração na produção e, atualmente, o Brasil não atinge 60 milhões de toneladas ano. Esses números são bem semelhantes a região Norte da Índia, que possui uma capacidade produtiva de 94 milhões de toneladas por ano e uma produção aproximada de 70 milhões de toneladas ano. A maior diferença está na utilização da capacidade instalada. Enquanto no norte da Índia a produção gira em torno de 75% da capacidade, no Brasil a produção não chega a 68% da capacidade de suas fabricas. Mas, o objetivo aqui é compreender o real significado dos números que ilustram o mercado indiano. Sabe-se então que o mesmo é oito vezes menor do que o líder chinês, mas com características que indicam que a principal diferença está no momento que vive as duas nações; que a principal empresa indiana do setor produz a mesma quantidade de cimento de uma das principais potências econômicas mundiais; e que apenas uma das cinco regiões do país possui números semelhantes ao mercado brasileiro.


Vale adicionar aqui mais algumas variáveis importantes. Assim, como o Brasil, a India é um país emergente, como enorme potencial, mas com importantes desafios para serem enfrentados. Contudo, o atual governo indiano parec